quarta-feira, 19 de outubro de 2016

As cores


A Casa | aguarela
Autora (muito) minha conhecida


A tua mais fantástica criação. A Casa. Vi nesses olhos grandes, cor de mel, a tua concentração. Afinal era A Casa. Não a tua, a dos teus sonhos. É soberba disse-te. O que é a soberba? - perguntaste. Um dia digo-te. Fascinei-me a ver-te. Como sempre. Não resisto ao teu empenho. E as técnicas de aguarela, dominas, controlas tudo. Cada pincelada, o molhar do pincel. Já sabias. Querias era saber as cores. Ensinei-te. A Casa, de que cor? Cor-de-Rosa, pai. Mistura estas duas. Pai é cor-de-rosa! Sim. Há mais, muitas mais. Quero paredes azuis. É este. Não sabes. Tens o mundo na ponta do dedos. Um dia serão palavras, disse-te. Não percebo, respondeste. Um dia... acredita em mim. Quero mais cores. Vamos fazer laranja. Outra folha. Vou fazer A Casa. Sim, não pares. Fizemos da mesa a mais colorida de todas as cidades. Já chega. Tens tempo, amanhã pintamos o mundo. Agora já sabes as cores.

6 comentários:

  1. "Temos" artista! :)
    coisas boas, mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida :)

      Além de serem momentos muito bons, tenho ali "artista" em muitas áreas :)

      Eliminar
  2. que bonito, CC.
    tão genuíno, texto e imagem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado.
      Serão estes momentos que guardaremos para sempre. É só isso.

      Eliminar